MPPA une projetos para combater a violência doméstica

O projeto empoderamento empreendedor deve fazer parcerias com a Rede de Cooperação pela Segurança e Sustentabilidade
Belém 23/05/19 08:31

Na última terça-feira, 21, o núcleo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, por meio do promotor de Justiça Franklin Lobato Prado, reuniu com a Rede de Cooperação pela Segurança e Sustentabilidade (RCS2) para planejar ações de segurança pública em defesa de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. A promotoria aposta na união do projeto empoderamento empreendedor com a Rede, para combater a violência doméstica. 

Com pouco tempo de criação, a iniciativa tem sido uma experiência relevante para a melhoria no atendimento biopsicossocial e qualificação das vítimas para o mercado de trabalho.  A criação desta "corrente do bem" possibilitará a interação e discussão de forma mais ágeis sobre crimes contra mulheres, nos bairros de Belém, desde os que ocorrem nas ruas até em domicílios particulares.

Para o presidente do Observatório Social de Belém e integrante da RCS2, Ivan Costa, "após a criação da parceria dos projetos de empoderamento empreendedor com a rede será possível ficar mais próximo da Patrulha Maria da Penha que faz rondas nos bairros onde mulheres possuem medidas protetivas”, ressaltou.

A principal perspectiva é a conscientização dos moradores dos bairros de Belém e do poder público  que a discussão  sobre segurança envolve diversos fatores. A promotoria aposta nas parcerias para tentar combater a violência doméstica.

“As pessoas geralmente pensam que o aumento dos crimes na Lei Maria da Penha é por conta da falta de policiamento, mas não é, não é sobre mais policiais nas ruas. Percebemos, na verdade, que não tínhamos o controle social das políticas públicas em favor das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar”, afirma  Franklin Lobato Prado.

Texto e foto: Núcleo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher
Edição: Ascom 

Fale Conosco